Suplementação-de-micronutrientes-e-própolis-verde-para-a-imunidade

Suplementação de micronutrientes e própolis verde para a imunidade: o que a ciência aborda?

A pandemia da COVID-19 lançou importante foco para o sistema imune, demonstrando a sua importância para nossa saúde como um todo e que, por isso, deve ter sempre a merecida atenção, visto que o manter fortalecido é essencial para o equilíbrio do organismo como um todo.

Com a chegada do outono, há um aumento da prevalência de doenças respiratórias, tanto as de caráter infeccioso (patógenos nas vias aéreas, como vírus e bactérias) como as alérgicas, devido às temperaturas mais frias e à redução da umidade do ar.

Nesse sentido, para garantir o adequado funcionamento desse sistema, a nutrição tem um importante papel, pois as células imunológicas e as barreiras físicas de defesa dependem do adequado aporte de micronutrientes e ativos que atuam em sinergia para proporcionar sua eficiência.

Por que suplementar micronutrientes e própolis verde?

Alguns estudos relatam que a população brasileira consome de forma insuficiente vitaminas A, C, D e E, além de minerais como ferro, zinco e selênio (TURECK et al., 2017). Isso acontece por diferentes motivos, como a baixa qualidade do padrão alimentar, a deficiência de nutrientes no solo, a obesidade, o estresse, o tabagismo e o envelhecimento. Assim, já que sua ingestão muitas vezes é insuficiente, a suplementação desses nutrientes pode ser uma aliada para promover um melhor estado de saúde; inclusive, de ativos que proporcionam benefícios à imunidade, como a própolis verde.

Micronutrientes e própolis verde – Quais os mecanismos imunomoduladores?

Própolis verde A própolis verde é um composto resinoso coletado especialmente do alecrim-do-campo (Baccharis dracunculifolia), com alta concentração de fitoativos, como artepilin-C, éster feniletílico de ácido cafeico, quercetina e apigenina. É encontrada principalmente na forma de extrato, tanto em veículo líquido alcoólico ou aquoso quanto na forma seca em cápsulas, sendo essa última opção mais prática e melhor tolerada pelos pacientes, visto que o sabor da própolis é bem marcante.

A literatura científica demonstra sua ação imunomoduladora, atuando principalmente em macrófagos e linfócitos, sendo aliada do tratamento de infecções e também como coadjuvante do tratamento de alergias respiratórias. Os estudos evidenciam seu papel antiviral, principalmente contra os vírus herpes simplex dos tipos 1 e 2 e influenza. Também apresenta efeito potencial na inibição da adesão e proliferação de patógenos no intestino e potente efeito anti-inflamatório (AL-HARIRI, 2019; BRAAKHUIS, 2019). Recentemente, um estudo de caso conduzido por pesquisadores brasileiros levantou o potencial efeito terapêutico da suplementação com própolis verde contra o novo coronavírus (FIORINI et al.; 2021).

Vitamina A

A vitamina A é um micronutriente com efeito antioxidante e protetor da integridade das mucosas, essenciais para a defesa do organismo. Ainda, atua diretamente na melhora da função imunológica, exercendo ação regulatória das respostas das células imunológicas, além de apresentar potencial ação na produção de imunoglobulinas (HUANG et al., 2018). A deficiência deste nutriente relaciona-se a maior severidade de doenças e menor eficácia de vacinas (KEFLIE; BIESALSKI, 2020). Em casos de infecções, durante a resposta de fase aguda, uma diminuição do retinol no soro é observada de forma proporcional à gravidade da infecção. Sua deficiência pode estar associada a uma menor capacidade vital forçada (indicador de obstrução pulmonar e forte preditor de mortalidade de adultos assintomáticos e sem doenças respiratórias crônicas). Ainda, a administração deste nutriente reduziu a morbidade e mortalidade em diferentes doenças infecciosas, como sarampo, HIV e malária (FEDELE et al., 2021).

Vitaminas do complexo B

Destaca-se a função imunomoduladora da vitamina B12 por atuar na síntese das células vermelhas, como cofator de processos relacionados à imunidade na microbiota intestinal e na diferenciação, proliferação e funcionamento das células de defesa, sendo sua suplementação associada à melhora da razão CD4/CD8. A vitamina B3 relaciona-se com a redução da replicação viral, além de reduzir citocinas pró-inflamatórias. A vitamina B6 é fundamental para a migração linfocitária no intestino e manutenção da atividade citotóxica das células natural killers. A vitamina B9, assim como a vitamina B1, atua tanto na produção dos anticorpos quanto na sua resposta contra antígenos (SHAKOOR et al., 2020).

Vitamina C

A vitamina C dá suporte para a integridade das barreiras epiteliais, tanto pelo seu efeito antioxidante quanto por atuar na síntese de colágeno. É importante para modular a produção de citocinas e na redução da histamina, além de atuar na atividade de monócitos, neutrófilos, fagócitos e células natural killers, assim como na regulação redox. Sua suplementação associa-se à prevenção e ao tratamento de infecções respiratórias (CARR; MAGGINI, 2017). Níveis séricos mais altos dessa vitamina se associam com menor severidade e mortalidade por pneumonia. Ainda, segundo Keflie e Biesalski (2020), a vitamina C parece auxiliar na inibição da tempestade de citocinas inflamatórias relacionadas à COVID-19.

Vitamina D

A vitamina D atua na manutenção das barreiras intestinais e epiteliais saudáveis, além de atuar em diversos mecanismos, como na tolerância imunológica, estimulando a diferenciação de células T regulatórias, efeito antimicrobiano, e tem papel modulador da inflamação e do estresse oxidativo. Ainda, estudos relacionam o efeito modulador da produção de catelicidina LL-37 com sua atividade antiviral, visto que este peptídeo tem papel disruptor do envelope lipídico viral e apresenta eficácia no combate à septicemia. Uma menor concentração de vitamina D associa-se a maior risco de desordens relacionadas ao sistema imunológico, inclusive, doenças autoimunes (CHAROENNGAM; HOLICK, 2020; GOMBART; PIERRE; MAGGINI, 2020).

Selênio

Mineral essencial para a função de selenoproteínas, como a glutationa peroxidase, que atuam como reguladoras redox e com efeito antioxidante, assim como apresenta papel na diferenciação e proliferação de células T. Sua suplementação pode ser utilizada como terapia adjuvante segura em infecções virais, sendo relacionada, na literatura, com a redução da mutação viral e na melhora da imunocompetência de pacientes deficientes desse mineral (GOMBART; PIERRE; MAGGINI, 2020; KEFLIE; BIESALSKI, 2020).

Dessa forma, pode-se concluir que a adequação dos níveis corporais de micronutrientes, além do uso de extrato de própolis verde, é eficaz para promover a homeostase do sistema imunológico. Immunity Support Health é um suplemento alimentar em cápsulas à base de extrato de própolis verde e com concentrações equilibradas de selênio e vitaminas A, do complexo B, C e D, sendo uma forma prática e efetiva para contribuir com o suporte imunológico no dia a dia.

Compartilhe agora

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email