lemon-1918082_1920

L-glutamina – o aminoácido da imunidade!

Esta época do ano é marcada pelo aumento da prevalência de doenças respiratórias como gripes e resfriados, principalmente, devido às alterações de temperatura, à baixa umidade do ar e, também, aos ambientes menos ventilados, assim, propiciando a proliferação dos micro-organismos associados a essas doenças. Estratégias alimentares são essenciais para potencializar a imunidade neste período, como uma alimentação rica em vitamina C, zinco, vitamina A, selênio e outros nutrientes importantes. A suplementação com glutamina é uma das indicações para esse benefício.

A glutamina é o mais abundante aminoácido presente na corrente sanguínea e no tecido
musculoesquelético, sendo conhecida em razão do importante fornecimento de energia aos enterócitos e para a função imunológica adequada. Ela não é considerada essencial porque nosso corpo pode sintetizá-la, porém, em determinadas situações, em que a demanda em nosso corpo é excessiva, pode ocorrer sua deficiência, assim, passando a ser considerada essencial. Os períodos nos quais há um deficit de glutamina são nos de infecção, sepse, queimaduras, crescimento, pós-cirurgia, estresse, atividade física excessiva e entre outros.

Uma revisão conduzida por Cruzat et al. (2018) demonstrou a importância da glutamina ao sistema imunológico, visto que as células desse sistema são largamente dependentes dela para sobreviver, proliferar e defender o corpo contra patógenos. Esse mesmo estudo abordou a necessidade de suplementá-la no início de quadros infecciosos, impedindo que haja sua deficiência no corpo e que ocorra uma piora dessa infecção. Uma revisão de meta-análises realizada por McRae (2017) relata os benefícios da suplementação com glutamina na redução de complicações infecciosas adquiridas no hospital, assim como na diminuição do tempo de permanência no hospital pelos indivíduos, inclusive, reduzindo mortalidade.

Sabe-se que atletas, após longas provas, podem ter uma queda na sua imunidade e, por isso, esse grupo apresenta um risco maior de prevalência de deficiência de glutamina. Song et al. (2015) avaliaram a função imune com a suplementação de glutamina em atletas com carga pesada de treino. Os atletas do grupo de intervenção receberam 10g de glutamina por dia, 3 semanas antes do início do treinamento mais pesado; e diversos marcadores do sistema imunológico foram dosados. Os atletas suplementados com glutamina tiveram redução dos efeitos imunossupressores que a carga pesada de treino pode ocasionar e ainda com capacidade de restaurar o sistema imunológico.

Referências

PASCHOAL, V. et al. Nutrição Clínica Funcional: Suplementação.
VP, 2015. v. II.

CRUZAT, V. et al. Glutamine: Metabolism and Immune Function, Supplementation and Clinical Translation. Nutrients, v. 10, n.11, p.1564, 2018.

McRAE, M.P. Therapeutic benefits of glutamine: An umbrella review of meta-analyses. Biomedical Reports, v. 6, n.5, p.576-584, 2017.

SONG, Q-H. et al. Glutamine Supplementation and Immune Function During Heavy Load Training. International Journal Clinical Pharmacology and Therapeutics, v. 53, n. 5, p.372-376, 2015.

Compartilhe agora

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email