creatina

Creatina – eficácia além do esporte!

A busca pela suplementação com foco em melhorar a saúde é destaque das pesquisas de comportamento realizadas em 2020. A recente publicação da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres (ABIAD), que conduziu uma pesquisa com 1.006 pessoas, mostrou que 69% dos brasileiros entrevistados aumentaram o consumo de suplementos e produtos que ajudam a manter-se saudável (ABIAD, 2020).

Suplementos – apenas para esportistas e atletas? O uso de suplementos nutricionais como recursos ergogênicos é um hábito na rotina de praticantes ativos de exercícios e atletas que querem alcançar máxima performance. Um dos mais escolhidos por esse público é a creatina, que tem como objetivo o aumento do desempenho atlético, melhorando o fornecimento de energia para tecidos musculares. Assim, é um suplemento tradicional na rotina esportiva, mas que apresenta outras propriedades que merecem um destaque.

Além de energia: papel da creatina em outras funções do corpo. A principal função da creatina é fornecer energia rápida aos tecidos com maior demanda energética. Além do músculo, o tecido cerebral é o de maior necessidade, uma vez os neurônios realizam processos que requerem energia. Acredita-se que a creatina possui uma participação relevante no processo de plasticidade neuronal. Avgerinos et al. (2019), em uma revisão sistemática, ressaltam que níveis mais elevados de creatina em indivíduos em repouso têm sido comprovados para melhorar o rendimento em tarefas cognitivas como memória. Os autores destacam os benefícios cognitivos da suplementação de creatina.

Outra revisão, esta conduzida por Dolan et al. (2019), mostra que a creatina cerebral é responsiva à suplementação, porém depende de uma dosagem mais prolongada do que aquelas normalmente utilizadas para aumentar a creatina muscular.

Mecanismo de ação da creatina no cérebro. As células cerebrais usam o nucleotídeo de adenina fosfoilado ATP para produção de energia. Esse sistema está associado à homeostase de energia celular. Assim, alguns estudos da revisão de Avgerinos et al. (2019) apontam que a regulação da creatina por meio da suplementação contribui para a neuroproteção, revertendo a disfunção mitocondrial em doenças neurodegenerativas.

Performance mental em atletas: entenda a importância. A importância da manutenção da saúde cerebral na prática esportiva é fundamental. Recentemente, Cutsen et al (2020) apontam o efeito negativo da fadiga mental (MF) em habilidades psicomotoras específicas do esporte. Os autores avaliaram a suplementação de creatina tanto na melhora da força como na modulação do funcionamento cognitivo. Para isso, 14 participantes saudáveis realizaram testes de resistência e utilizaram suplemento de creatina, então, assinalando resultados na melhora da resistência à força e do desempenho cognitivo prolongado.

https://www.youtube.com/watch?v=HmxH5zd4k9Q

Pensando nesse contexto, a suplementação de creatina pode ser favorável tanto para potencializar a oferta de energia muscular como para melhorar o processo cognitivo, também, oferecendo substrato energético às células cerebrais.

Creatina Health é um suplemento à base de creatina que traz 3 gramas desse componente em 1 porção. Indicado para a rotina de atletas, praticantes de exercícios físicos e idosos que buscam aumento de força e resistência energética.

Referências ABIAD. Pesquisa de Mercado ABIAD: Hábitos de Consumo de Suplementos Alimentares. Disponível em: https://abiad.org.br/pb/pesquisa-de-mercado-suplementos-alimentares/.(pela nova ABNT, não precisa mais os símbolos < >) Acesso em: 19 nov. de 2020. CUTSEN, J. et al. Can Creatine Combat the Mental Fatigue-associated Decrease in Visuomotor Skills? Med Sci Sports Exerc., v. 52, n. 1, p. 120-130, jan. 2020. BALESTRINO, M; ADRIANO, E. Beyond sports: Efficacy and safety of creatine supplementation in pathological or paraphysiological conditions of brain and muscle. Med Res Rev., v. 39, n. 6, nov. 2019. AVGERINOS, K. et al. Effects of creatine supplementation on cognitive function of healthy individuals: A systematic review of randomized controlled trials. Exp Gerontol., v. 15, p. 166-173, jul. 2018.

Compartilhe agora

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email