shutterstock_713829859

Creatina: benefícios além do desempenho esportivo!

A suplementação de creatina é comum na rotina de pessoas que treinam com regularidade devido aos seus efeitos para potencializar o rendimento esportivo e amenizar sinais relacionados à fadiga. Os estudos na literatura demonstram resultados positivos com esse recurso ergogênico no esporte, mas, também, que pode ser eficiente na melhora da saúde muscular em idosos.  

Em revisão feita por Oliveira et al. (2017), os autores investigaram os efeitos da suplementação com creatina na composição corporal de atletas que praticavam exercícios com pesos. O uso da creatina foi eficaz para aumentar o percentual de força máxima e a massa magra, além de ter reduzido a fadiga nos indivíduos suplementados. Esse resultado também foi observado em estudo conduzido por Lanhers et al. (2017), em que a suplementação com creatina na performance de força do membro superior se mostrou efetiva, principalmente, em exercícios de curta duração.

Além do esporte, como a creatina pode favorecer a massa muscular em idosos?

As mudanças do envelhecimento são fortemente observadas na massa muscular. Com o passar dos anos é possível observar uma significativa diminuição da massa muscular, força, poder e função muscular, associadamente à redução da densidade óssea. Essas condições levam ao comprometimento da independência e ao aumento do risco de quedas. Relata-se, em estudos avançados, que a suplementação de creatina pode melhorar a força e o desempenho muscular em indivíduos idosos, até mesmo sem a combinação com treinamento físico.

Em revisão realizada por Moon et al. (2013), a complementação com creatina na melhora do desempenho e da função muscular em idosos, sem a adição de treinamento de resistência, foi avaliada a fim de determinar uma possível condição terapêutica para ser adotada no estilo de vida de idosos sedentários, como forma de amenizar os prejuízos da sarcopenia. Os achados sugeriram que a suplementação de creatina sem treinamento associado em idosos pode retardar a atrofia da massa muscular comum do envelhecimento, melhorar a resistência e a força dos músculos e dos ossos, ajudando a diminuir a perda no desempenho funcional das tarefas diárias dos participantes.

A escolha do suplemento de creatina na rotina faz toda a diferença no alcance dos benefícios. O ideal é avaliar a qualidade e o grau de pureza, dando preferência aos produtos que comprovam sua matéria-prima superior.

Referências

OLIVEIRA, L.M. et al. Efeitos da suplementação de creatina sobre a composição corporal de praticantes de exercícios físicos: uma revisão de literatura. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, v. 11, n. 61, p. 10-5, jan. 2017.

LANHERS, C. et al. Creatine supplementation and upper limb strength performance: A systematic review and meta-analysis. Sports Medicine, v. 47, n. 1, p. 163-73, jan. 2017.

SILVA, R.A. Suplementação de creatina no esporte: mecanismo de ação, recomendações e consequências da sua utilização. 2018. 15 fls. Monografia (Graduação em Nutrição) – Faculdade de Ciências da Educação e Saúde, Centro Universitário de Brasília, Brasília, 2018.

MOON, A. et al. Creatine supplementation: can it improve quality of life in the elderly without associated resistance training? Curr Aging Sci., v. 6, n. 3, p. 251-7, dec. 2013.

Compartilhe agora

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email